Indústria Verde

SENAI e Eletronorte destinam R$ 12 milhões para geração de hidrogênio verde

A intenção é atrair projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação com foco em desenvolvimento de energia solar em grande escala para uma economia de baixo carbono

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) em parceria com a Eletronorte lançaram uma nova chamada de Missão Industrial para projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação para aplicação de energia solar no Brasil e geração de Hidrogênio Verde na Usina Hidrelétrica de Balbina (AM). Empresas, Instituições de Pesquisa e startups nacionais podem se inscrever pela Plataforma Inovação para a Indústria.

Ao todo, R$ 12 milhões serão destinados para o financiamento das propostas de projeto aprovadas. O Investimento faz parte da estratégia da nova chamada de inovação “Missão Estratégica Balbina Green Connection”, que conecta os melhores centros de pesquisa do Brasil para ajudar as empresas a desenvolver soluções para desafios complexos, como a transição energética rumo a uma economia de baixo carbono.

O Brasil conta com um grande potencial para geração de energia a partir de fontes renováveis. Para o diretor geral do SENAI, Rafael Lucchesi, o Brasil precisa ampliar o investimento em soluções inovadoras e sustentáveis.

“Precisamos avançar mais em pesquisas para levar energia solar a mais lugares do país. Nosso maior desafio é desenvolver uma diversidade de matrizes energéticas sustentáveis e confiáveis que poderão suprir as necessidades de energia de uma população em crescimento”, ressalta.

Os projetos inscritos deverão trazer soluções para três grandes desafios no setor, que são:

1. Aplicar a geração da energia solar e formas de armazenamento em hidrogênio verde para suprimento de energia elétrica em atividades extrativistas, Centro de Proteção Ambiental, Centro de Pesquisa e Reabilitação de Animais Silvestres, mobilidade e grupo gerador de emergência da UHE;

2. Estruturar programa para a integração do uso de sistemas fotovoltaicos, hidrogênio e armazenamento, em práticas educacionais escolares com aplicações em atividades sustentáveis; e

3. Desenvolver um modelo matemático para comparação da geração de energia solar a partir de placas solares flutuantes e em terra, bem como, ferramentas de projeção da complementaridade entre a energia solar e hídrica.

A ação será coordenada pelos Institutos SENAI de Inovação em Energias Renováveis e as alianças formadas pelos Institutos de Inovação de todo o país. Os resultados esperados são o desenvolvimento local e nacional, com a cocriação de soluções personalizadas em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I).

Além disso, a estratégia visa conectar empresas industriais ou investidores por meio do compartilhamento de risco financeiro e tecnológico para projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I), com base em um conjunto de soluções inovadoras para os desafios encontrados pelas indústrias.

O setor de energia renovável está em expansão no Brasil, com isso, o SENAI e a Eletronorte querem impulsionar a capacidade de geração de energia no país pela fonte solar. Por isso, essa iniciativa marca o início de uma nova parceria entre as instituições, com o objetivo de ampliar, diversificar e socializar a energia produzida na Hidroelétrica de Balbina, localizada no estado do Amazonas, no município de Presidente Figueiredo.

Como participar – A Plataforma Inovação para a Indústria está aberta à participação de empresas do setor industrial de todos os tamanhos, inclusive startups de base tecnológica. Para participar, é necessário enviar a ideia pela Plataforma, seguindo normas e cronogramas específicos de cada categoria.

Acesse aqui o regulamento

A Plataforma é uma iniciativa do Sistema Indústria para financiar o desenvolvimento de produtos, processos ou serviços inovadores, com o objetivo de aumentar a produtividade e a competitividade da indústria brasileira, além de promover a otimização da segurança e saúde na indústria.

Criada em 2004 como Edital SENAI SESI de Inovação, a iniciativa já selecionou mais de mil projetos inovadores, nos quais foram investidos mais de R$ 817 milhões. As propostas escolhidas recebem recursos e apoio para desenvolvimento de uma prova de conceito, passando por processos de validação, de protótipo e de teste na rede de inovação e tecnologia do SENAI.

 

Fonte: Agência de Notícias da Indústria