Indústria Verde

COP26: Brasil pode liderar o processo de descarbonização da economia mundial

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, afirmou que o Brasil tem todas as condições de liderar o processo de descarbonização da economia no mundo e consolidar uma posição de destaque na oferta de produtos da biodiversidade. Andrade participou, de Brasília, da abertura do pavilhão Brasil-Glasgow na COP26.

Ele destacou que a indústria brasileira já está fazendo investimentos robustos na sustentabilidade. “Reduzir ou até mesmo zerar as emissões dos gases de efeito estufa está entre as prioridades de vários setores industriais, e muitas empresas já se comprometeram a alcançar a neutralidade climática até 2050”, afirmou.

Governo afirma que Brasil é solução na mudança climática

De forma remota, transmitido pelo telão do evento, o presidente da República, Jair Bolsonaro, destacou o potencial de biodiversidade do Brasil. “Temos a maior biodiversidade do planeta, a maior e mais rica cobertura florestal e uma das maiores áreas oceânicas. Na mudança do clima, sempre fomos parte da solução”, declarou.

Bolsonaro citou o lançamento do Programa Nacional de Crescimento Verde, que tem o objetivo de trazer as preocupações ambientais ao centro da agenda econômica. “Ao promover uma economia verde, o programa vai orientar a ações de proteção e conservação do meio ambiente por meio de inventivos econômicos direcionando recursos e atraindo investimentos. Com isso vamos favorecer projetos de conservação florestal, de uso racional dos recursos e redução dos gases de efeito estufa e isso favorecendo também a geração de empregos verdes”, afirmou o presidente.

Já o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, reafirmou o país como uma “potência verde” e anunciou uma nova meta climática, de redução das emissões de carbono, passando de 43% para 50% até 2030; e a neutralidade de carbono até 2050, que será formalizada durante a COP26.

“Reforço nossos compromissos com a geração de uma economia neutra em emissões de gases de efeito estufa, mas ao mesmo tempo garantindo geração de empregos e renda. As contribuições do Brasil para superar os desafios estão postas. Não faltará empenho do governo federal para chegarmos a um resultado positivo para o país e para o mundo”, afirmou.

Brasil na COP26

O estúdio sediado na CNI será palco de diversos debates durante a COP26 e fará a ponte entre os representantes brasileiros em Glasgow e aqueles que ficaram no Brasil. O estúdio de Glasgow fica no Pavilhão Brasil, uma parceria entre CNI, CNA e Apex.