Indústria Verde

Veracel investe em unidade de conservação para preservar biodiversidade

Ações incluem preservação da mata atlântica e monitoramento de baleias jubarte e tartarugas marinhas

A conservação das florestas é vital para mitigar os efeitos do aquecimento global e preservar a biodiversidade. O Brasil, que possui uma grande cobertura florestal – a segunda maior do mundo –  é rico em recursos naturais e matérias-primas, fundamentais para o equilíbrio e pela estabilidade dos ecossistemas. Porém, demandam cada vez mais soluções de manejo sustentável por parte das indústrias.

As ações de conservação ambiental garantem o ciclo ecológico e a manutenção da vida tanto dos animais quanto dos humanos.

A Veracel, empresa da área de celulose, busca continuamente inserir práticas sustentáveis na produção de seu principal produto. As iniciativas da empresa nesse sentido estão alinhadas à conservação florestal, um dos quatro pilares da estratégia da Confederação Nacional da Indústria (CNI) rumo a uma economia brasileira de baixo carbono.

O empreendimento agroindustrial, que tem produção média anual de 1,1 milhão de toneladas de celulose, gera mais 3 mil empregos próprios e de terceiros na região da Costa do Descobrimento.

Reserva – Uma das principais iniciativas da Veracel é a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Estação Veracel, uma unidade de conservação da empresa reconhecida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Localizada no sul da Bahia, a unidade é a maior reserva privada de Mata Atlântica do Nordeste, fazendo parte da estratégia de conservação da Mata Atlântica no Sul da Bahia. Além da educação ambiental e da observação de aves, a Estação Veracel tem acolhido e projetado o trabalho de pesquisadores no mundo científico.

Segundo Virgínia Camargos, coordenadora de Estratégia Ambiental e Gestão Integrada da empresa, as ações de conservação ambiental garantem o ciclo ecológico e a manutenção da vida tanto dos animais quanto dos humanos. “Esse é um dos pilares do desenvolvimento sustentável e está em linha com nosso propósito de ser responsável, inspirar pessoas e valorizar a vida”, afirmou.

O plantio de eucalipto da empresa compõe um mosaico com a mata nativa, servindo de abrigo e passagem à fauna. Possibilita um fluxo migratório das espécies e evita o seu isolamento. A análise da área onde a empresa atua aponta para mais de 65 mil hectares conectados com mais de 5,5 milhões de árvores nativas da Mata Atlântica plantadas na região.

Por abrigar populações significativas de espécies endêmicas e ameaçadas, a RPPN Estação Veracel foi identificada como área-chave para a biodiversidade (Key Biodiversity Area) e área importante para conservação de aves (Important Bird Area) por convenções internacionais de conservação ambiental.

Animais – Outras ações para a conservação da biodiversidade da empresa se dão em parceria com o Instituto Baleia Jubarte (IBJ). O principal é o monitoramento de jubartes na costa do sul da Bahia, buscando entender como as atividades humanas podem afetar o fluxo natural destes animais.

Além desta colaboração, a empresa também tem um programa de monitoramento de tartarugas marinhas, com suporte da CTA Serviços em Meio Ambiente, uma empresa internacional de consultoria na área ambiental. Realiza periodicamente o monitoramento diário dos animais, coletando informações sobre eclosões, e identificando as tartarugas encalhadas ou em desovas. O trabalho tem contribuído para o aumento na densidade de tartarugas.