Indústria Verde

Sindicerv busca equilíbrio socioambiental na indústria cervejeira

Setor atua na implementação de práticas pioneiras e sustentáveis no processo de fabricação e distribuição de cerveja no país

O Brasil é um país rico em recursos renováveis para produção de energia, tendo uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo. A busca do equilíbrio socioambiental tem levado a indústria cervejeira a avaliar não apenas o impacto ambiental provocado por seus processos industriais, mas as consequências provocadas ao longo de todo o ciclo de vida de seus processos e produtos.

A sustentabilidade nas cervejarias significa, além do equilíbrio e preocupação com o meio ambiente, a redução de custos e consequente competitividade no mercado, agregando maior valor ao produto.

O Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv), que reúne as empresas Ambev e Heineken, responsáveis por 80% da produção e fabricação de cerveja no país, atua na implementação de práticas sustentáveis no processo de fabricação e distribuição de cerveja.

As iniciativas das associadas nesse sentido estão alinhadas à estratégia da Confederação Nacional da Indústria (CNI) rumo a uma economia brasileira de baixo carbono, baseada em quatro pilares: transição energética, mercado de carbono, economia circular e conservação florestal.

“Estamos cada vez mais comprometidos com uma agenda de crescimento e desenvolvimento ambiental do Brasil e sempre em busca de fontes que resultem em menor impacto para o meio ambiente. Nossas incansáveis ações têm foco na redução das emissões de carbono ao longo de nossa cadeia produtiva, do ‘campo ao copo’”, explica o gerente jurídico do Sindicerv, Fábio Ferreira.

Juntas, Ambev e Heineken geram de mais de 2 milhões de empregos diretos, indiretos e induzidos, representam 2% do PIB no Brasil, 27 bilhões em massa salarial e 2,11% do total de postos de trabalho na economia.

Força dos ventos – As empresas têm investido em energia eólica para o fornecimento de energia nas fábricas. O setor tem em funcionamento um parque eólico no Ceará, que conta com 14 turbinas e, na Bahia, está sendo construído outro parque em uma área de 1.600 hectares. O objetivo é gerar 202 MWh/ano.

As associadas também estão em busca da substituição de combustíveis fósseis como o gás natural e óleo BBF e a substituição de energia elétrica não renovável, por eletricidade de fontes renováveis como a biomassa, o óleo vegetal e o biogás. A indústria já utiliza biomassa de cavaco de madeiras de reflorestamento certificadas e óleo vegetal.

Três cervejarias já são 100% abastecidas com energia renovável e, até 2023, o objetivo é que toda produção seja abastecida com energia limpa, reduzindo a zero a emissão de carbono em todo o processo.

Veículos elétricos – As empresas também buscam aumentar a eficiência no transporte de cargas, otimizando o consumo de combustível e usando veículos mais eficientes para reduzir as emissões de carbono. Para isso, por meio de parcerias, até o fim do ano, serão incorporados mais de 220 caminhões elétricos. Os veículos também serão 100% abastecidos por energia renovável, gerado pelo próprio setor em suas instalações ou compradas de fonte de energia renovável certificada. Também há um projeto em andamento de conversão de caminhões à diesel em veículos elétricos.

Nos centros de distribuição, já foi iniciada a troca das empilhadeiras movidas a combustíveis fosseis para empilhadeiras elétricas. Até 2025, 100% da frota de empilhadeiras será elétrica. A motorização das máquinas reduz a emissão de CO2, além de reduzir ruídos e oferecer agilidade na manutenção e na recarga. O Sindicerv conta ainda com 130 centros comerciais de distribuição espalhados pelo Brasil e, até 2023, 124 serão abastecidos 100% com energia limpa ou energia renovável certificada.

Em relação a refrigeração dos produtos nos pontos de vendas, hoje 100% dos refrigeradores seguem os padrões globais de eficiência, o que trouxe uma redução de 50% no consumo de energia e emissão de carbono, na ponta. Os equipamentos possuem sensores que identificam os horários de funcionamento dos pontos de venda e acionam o modo stand-by quando não há movimento no estabelecimento, desligando luzes internas e otimizando o sistema de refrigeração.