Indústria Verde

Gigante de alimentos traça metas para um futuro regenerativo

Nestlé Brasil anuncia compromissos em sustentabilidade para o país, dentre eles ser a primeira empresa de cafés em cápsulas, solúvel e torrado e moído carbono neutro

No início deste mês, a Nestlé Brasil divulgou seus compromissos em sustentabilidade assumidos nacionalmente para acelerar as ambições globais da companhia em relação às metas climáticas. O país é o quarto maior mercado desta que é a principal fabricante de alimentos no mundo.

A Nestlé é signatária do compromisso da Organização das Nações Unidas (ONU) Business Ambition for 1.5° C e tem um plano global para reduzir pela metade as suas emissões líquidas de gases de efeito estufa (GEEs) até 2030 e atingir emissões líquidas zero até 2050. As ações incluem cadeias de fornecimento, fábricas, transportes e produtos.

No Brasil, são três os pilares da empresa rumo a estas metas. Um deles é a agricultura regenerativa. O intuito é produzir alimentos de forma a restaurar habitats, proteger a biodiversidade ao redor de áreas de produção e reduzir as emissões de GEEs, e, com isso, gerar impacto positivo por meio das principais cadeias fornecedoras, como café, leite e cacau.

O segundo pilar envolve a circularidade, para reduzir e eliminar o desperdício na produção de embalagens. O terceiro pilar foca na bioeconomia, valorizando os biomas brasileiros e suas comunidades por meio de negócios sustentáveis.

Nesse sentido, as ações da Netlé estão alinhadas à estratégia da Confederação Nacional da Indústria (CNI) rumo a uma economia de baixo carbono, baseada em quatro pilares: transição energética, mercado de carbono, economia circular e conservação florestal.

Influência – “Sustentabilidade é um tema transversal em toda a companhia, que permeia toda a organização e a cadeia de valor – e isso permite evoluir os negócios para modelos mais sustentáveis”, reitera o diretor de Planejamento Estratégico, M&A e Sustentabilidade da Nestlé Brasil, Fábio Spinelli.  “As mudanças climáticas são um dos maiores desafios da sociedade e um dos maiores riscos para o futuro do nosso negócio – e resolvê-las exige que todos nós ajamos com urgência”, resume Melchior.

“Como a maior empresa de alimentos e bebidas do mundo, temos escala, representatividade, recursos e experiência para influenciar outras pessoas e inspirar ações coletivas, de alto impacto, somando forças com as cadeias produtivas, entidades e diferentes elos do sistema alimentar que são fundamentais para engajar e transformar nosso setor”, complementa.

Regeneração – Foram definidos como objetivos para o Brasil a obtenção de 30% das principais matérias-primas por meio de práticas regenerativas até o ano de 2025. Isso inclui a reciclagem de todo o plástico colocado no mercado brasileiro, e a conservação de 300 mil hectares de terras na Amazônia, gerando renda e promovendo educação para quatro mil pessoas.

O CEO da Nestlé Brasil, Marcelo Melchior, defende o papel de liderança do mercado brasileiro como parte da transição global para sistemas alimentares regenerativos em escala. “Os compromissos locais assumidos pela empresa no Brasil são decisivos no alcance do compromisso global”, diz Melchior, acrescentando que, hoje, “regeneração é uma palavra muito significativa para a Nestlé”.

“É a regeneração que causa impacto positivo em práticas que melhoram a saúde e a fertilidade do solo; que sequestram carbono; que protegem e restauram recursos naturais como a água; que fomentam a biodiversidade; e que tratam os resíduos – tudo isso com foco também em melhorar o dia a dia dos produtores e o bem-estar das comunidades agrícolas”, enumera.

Estas estratégias e ações contemplam inúmeros ações, como a inovação e novas técnicas nas cadeias produtivas. Também incluem a restauração florestal e o uso de diferentes ativos da biodiversidade sob a ótica de negócios sustentáveis, por meio do fortalecimento de comunidades que vivem na Floresta Amazônica e geram renda a partir do uso consciente de recursos. Além disso, a empresa estimula a economia circular com investimentos em embalagens recicláveis e reutilizáveis e parcerias com cooperativas de reciclagem, desenvolvendo novas cadeias para materiais descartados.

Programas – No pilar de agricultura regenerativa, a Nestlé incentiva o cultivo dos alimentos e a meta de ter 30% de matéria-prima provenientes desses modelos até 2025. Na cadeia do café, o Cultivando com Respeito, criado há dez anos, é o maior programa de sustentabilidade na cafeicultura no mundo: são 1,2 mil fazendas certificadas, com 100% de rastreabilidade e 85% das fazendas com práticas regenerativas em andamento. A Nestlé anunciou que, até 2022, será a primeira empresa com cafés em cápsulas, solúvel e torrado e moído carbono neutro, por meio de suas marcas Nespresso e Nescafé.

Já o Programa de Práticas Sustentáveis da cadeia do leite existe há mais de 15 anos. Em 2021, a companhia anunciou a parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para desenvolver o primeiro protocolo nacional para uma pecuária de leite de baixo carbono e o desenvolvimento das primeiras fazendas leiteiras Net Zero do país.

A Nestlé anunciou ainda que 100% das propriedades fornecedoras terão gestão hídrica até 2022. Ao final de 2020, as 60 fazendas leiteiras participantes do programa economizaram mais de 19 milhões de litros de água – uma redução de 8% na comparação com 2019.

Além disso, a companhia celebra resultados como mais de 1,1 mil produtores certificados na cadeia do cacau e o uso de geomonitoramento em fazendas fornecedoras, aumentando a rastreabilidade da matéria-prima. Por meio de imagens de satélite, é possível monitorar de forma contínua as propriedades e eventuais alterações na cobertura do solo, além de sinais de desmatamento.

O programa de boas práticas Cocoa Plan existe há mais de dez anos, com foco no menor impacto socioambiental e na evolução da qualidade. A meta é ter 100% da cadeia de fornecimento de cacau brasileira certificada até 2025.

Quanto à circularidade, a Nestlé tem a meta de remover 100% do plástico que coloca no mercado até 2025 no Brasil e tem incentivado a economia circular, que gera renda e oportunidade. A empresa apoia mais de 10 mil catadores em 1,3 mil cidades brasileiras por meio de sua parceria com o Cataki, Reciclar pelo Brasil e Cidades Mais.

Em 2019, a empresa anunciou a iniciativa RE, que propõe repensar todas as operações da companhia e envolver outros agentes e parceiros para a promoção de atitudes mais sustentáveis. No total, 95% das embalagens da Nestlé no Brasil são desenhadas para serem recicladas ou reutilizadas. O objetivo é, até 2025, tornar todas as suas embalagens recicláveis ou reutilizáveis em todo o mundo, em um trabalho que passa por repensar materiais, desenvolver cadeias de coleta seletiva e engajar e educar consumidores e parceiros.

Em setembro, a Nestlé também anunciou sua iniciativa global Generation Regeneration, por meio da qual investirá 1,2 bilhão de francos suíços no mundo todo, nos próximos anos, para estimular a agricultura regenerativa.