Indústria Verde

Braskem investe na utilização sustentável do plástico

Empresa adota iniciativas para concepção de novos produtos com foco em reciclagem e reutilização de embalagens plásticas

Líder global na produção de biopolímeros em escala industrial, a Braskem assumiu compromisso público, em 2018, em prol da economia circular. A empresa está à frente de iniciativas para concepção de novos produtos para ampliar e facilitar a reciclagem e a reutilização de embalagens plásticas. Investiu em novas resinas de origem renovável, como o polietileno I’m green™ bio-based, feito à base de cana-de-açúcar, e, além disso, investe em novas tecnologias, modelos de negócios e sistemas de coleta, triagem, reciclagem e recuperação de materiais.

“Para a Braskem, o desenvolvimento sustentável é um objetivo atrelado à estratégia de negócios. Levando isso em consideração, adotamos uma série de iniciativas que contemplam a adoção de práticas mais sustentáveis nos nossos processos produtivos e na cadeia de valor”, afirmou Fabiana Quiroga, diretora de Economia Circular da Braskem.

São exemplos de iniciativas em sintonia com a estratégia da Confederação Nacional da Indústria (CNI) rumo a uma economia brasileira de baixo carbono, baseada em quatro pilares, sendo um deles a economia circular.

Metas e produtos – Devido à sua versatilidade, o plástico exerce papel fundamental na economia. O material é utilizado em quase todos os setores como construção civil, agricultura, calçados, móveis, alimentos, têxtil, lazer, telecomunicações, eletroeletrônicos, automobilísticos, médico-hospitalar, distribuição de energia, entre outros. A ideia é que o plástico seja usado com responsabilidade, e seja reutilizado, reciclado ou recuperado.

Dar a destinação adequada aos resíduos plásticos, fazendo com que eles retornem ao ciclo de produção é uma das maneiras mais assertivas de evitar que os materiais acabem em locais inadequados, como mares e rios.

A Braskem tem como objetivo ampliar seu portfólio para incluir 300 mil toneladas de produtos com conteúdos reciclados até 2025, e um milhão de toneladas até 2030. A empresa vai trabalhar ainda para evitar, até 2030, que 1,5 milhão de toneladas de resíduos plásticos sejam enviados para incineração, aterros ou depositados no meio ambiente.

Atualmente, a Braskem oferece uma linha de produtos de origem reciclada, sob a marca I’m green™ recycled. A lista inclui 20 grades de resina reciclada pós-consumo de polietileno (PE), destinadas à produção de embalagens rígidas e flexíveis, sacarias, filmes shrink, entre outros. Inclui ainda 18 grades de resina reciclada pós-consumo de polipropileno (PP), que podem servir para a produção de mobiliário, tampas e utensílios domésticos. As resinas possuem as mesmas características que as de origem fóssil. Além disso, a companhia está desenvolvendo mais de 40 grades para oferta mundial que farão parte do portfólio.

Parcerias – A empresa também desenvolve soluções com parceiros. Uma delas é a embalagem flexível do absorvente Sempre Livre, da Johnson&Johnson. Produzida pela empresa gaúcha Mega Embalagens, ela é feita com 33% de resina pós-consumo I’m green™ recycled.

No segmento de móveis, a Tramontina comercializa cadeiras e banquetas produzidas com resinas recicladas pós-consumo. Já na fabricação de eletrodomésticos, a Braskem, em parceria com a Colormaq, desenvolveu a lavadora semiautomática EcoMax, primeiro eletrodoméstico produzido a partir de plástico pós-consumo.

As resinas recicladas pós-consumo da Braskem são produzidas a partir de resíduos plásticos descartados adequadamente e encaminhados para o processo de reciclagem. Sua origem vem de diversas fontes, entre elas, aterros sanitários, programas de logística reversa e programas junto a empresas de cashback, nos quais o consumidor leva seus resíduos e troca por pontos e benefícios.

Reciclagem – A Braskem investe também em parcerias para ampliar e facilitar a reciclagem e a reutilização do plástico. A parceria com a Tecipar, empresa brasileira especializada em engenharia ambiental, evitará que mais de duas mil toneladas de resíduos plásticos sejam despejadas anualmente no aterro sanitário de Santana do Parnaíba, na região metropolitana de São Paulo. O volume é equivalente a 36 milhões de embalagens plásticas de polietileno e polipropileno, segundo a empresa.

O acordo viabilizou a criação de uma usina de triagem para separação de resíduos sólidos e orgânicos de materiais recolhidos na coleta pública dos municípios de Barueri e Santana de Parnaíba. Após a separação, o plástico triado pela Tecipar é direcionado para um reciclador parceiro da Braskem.

Junto com a Valoren, empresa especializada no desenvolvimento e operação de tecnologias para a transformação de resíduos, a Braskem investiu R$ 67 milhões na construção de uma linha de reciclagem em Indaiatuba, interior de São Paulo. Inaugurada em 2022, ela tem capacidade para transformar cerca de 250 milhões de embalagens em 14 mil toneladas de resina pós-consumo de alta qualidade por ano. Estas resinas, por sua vez, passarão a ser utilizadas como matéria-prima para a indústria de transformação.

Essa linha de reciclagem é formada por um complexo modular, que integra diferentes etapas do processo. Seus diferenciais são a linha de lavagem de alto desempenho, com selecionador óptico para remoção de contaminantes por coloração e por tipo de material; silos homogeneizadores; sistemas de dosagem de aditivos; insumos de alta precisão, e módulo para eliminação de odor e de filtração de polímero de alto desempenho, o que contribui para a maior qualidade das resinas pós-consumo final.

Inovação – Outra frente de ação dentro da economia circular foi a assinatura de projeto disruptivo com a Valoren para a construção e instalação de uma unidade de Reciclagem Avançada, em Indaiatuba. A planta irá transformar quimicamente – por meio do processo de pirólise – resíduos plásticos em matéria-prima circular certificada, que será utilizada para fabricação de novas resinas plásticas. A nova unidade, que envolve um invesrtimento conjunto de R$ 44 milhões, deverá começar a operar no primeiro trimestre de 2023, e terá capacidade de produzir seis mil toneladas de produtos circulares por ano.

Ainda em 2022, será inaugurado o Cazoolo, um Centro de Desenvolvimento de Embalagens para Economia Circular, que irá operar na zona Oeste da capital paulista. O centro será um hub de inovação, visando a circularidade e o menor impacto ambiental. No planejamento, estão parcerias com clientes, brand owners, designers, startups e universidades para desenvolver embalagens mais sustentáveis, com melhorias no design e em todas as etapas do produto, da concepção até o pós-consumo. O projeto tem como base conceitos de Design for Environment (DfE) e Análise de Ciclo de Vida (ACV), para criar embalagens inovadoras e sustentáveis, aberto a toda cadeia de embalagens plásticas. O objetivo é acelerar o avanço da circularidade das embalagens.

“Acreditamos que todas essas iniciativas, ligadas ao consumo consciente e descarte adequado do plástico são os passos importantes que incentivam a logística reversa do material de maneira saudável, mostrando a importância e estimulando o conceito de Economia Circular”, afirmou Fabiana Quiroga.

Educação ambiental – Para reforçar seu compromisso com o desenvolvimento sustentável, a Braskem apoia iniciativas e ações para promover a conscientização da população em prol do meio ambiente. Uma das iniciativas é o Braskem Recicla. O projeto tem o objetivo de incentivar e conscientizar a comunidade sobre a importância da reciclagem, além de mostrar como essa prática pode causar impacto direto na geração de emprego e renda.

Quando a ação ocorre, a população pode levar até uma Estação de Reciclagem e Educação Ambiental, resíduos recicláveis, como plástico, papel, papelão, óleo de cozinha, eletrônicos, eletrodomésticos, metais ou vidro.

Entre 2021 e 2022, o Braskem Recicla já teve oito edições, sendo três vezes em Salvador (BA), duas vezes em Porto Alegre (RS), uma no Rio de Janeiro (RJ) e duas em São Paulo (SP). Ao todo, a iniciativa coletou mais de 73 toneladas de materiais recicláveis, além de ter gerado R$ 163 mil em renda para catadores, impactando aproximadamente 12 mil participantes.

A Braskem também tem a iniciativa Edukatu, a primeira rede on-line de aprendizagem sobre consumo consciente e sustentabilidade no Brasil. O projeto disponibiliza conteúdo para estimular a aprendizagem por meio de infográficos, games, animações e planos de aula, com interações na plataforma. O conteúdo fica disponível gratuitamente no site. Em 2021, só no ABC paulista, a plataforma teve mais de 21 mil acessos, e quase cinco mil cadastros.

Já o programa Plastitroque busca gerar conscientização sobre a importância do descarte adequado de materiais recicláveis. O foco da iniciativa está nos plásticos, e incentiva a reutilização e a reciclagem por meio de coleta seletiva. Por meio do projeto, as pessoas trocam os resíduos recicláveis por moedas que podem ser acumuladas e trocadas por kits. Os produtos coletados são destinados a cooperativas. Em 2021, o projeto arrecadou cerca de oito toneladas de resíduos plásticos em suas 11 edições por todo Brasil e impactou mais de três mil pessoas.